noticías

Posso usar o dinheiro da empresa para pagar despesas pessoais?

Um dos hábitos mais comuns por parte de donos de empresas é o de usar o dinheiro da companhia para pagar despesas pessoais, mas, isso é realmente algo certo?

Muitas pessoas não sabem corretamente o que deve ser feito, por isso, continue lendo esse artigo e veja quais são os bons hábitos do empreendedor inteligente e assim, comece a aplicá-lo no seu dia a dia.

O que são despesas da empresa?

As despesas da empresa são todos os gastos dos quais têm-se com a gestão, primordiais para que a companhia mantenha-se funcionando.

Esses são custos não possuem ligação com as vendas. Geralmente incluem:

  • Aluguel do imóvel;
  • Salário dos colaboradores;
  • Contas fixas – água, luz, gás, telefone, internet e mais;
  • Pró-labore;
  • Materiais de escritório ou de outros setores;
  • Custos adicionais trabalhistas como FGTS, INSS e tantas outras despesas.

Assim, compreender de forma geral o que são esses valores pode melhorar a visão sobre a empresa como um todo.

O que são despesas pessoais?

Enquanto isso, as despesas pessoais são aquelas referentes a pessoa física, onde os custos podem ser variáveis e diferentes entre cada indivíduo.

Nesse caso, costumam incluir:

  • Alimentação;
  • Transporte;
  • Roupas;
  • Estudos;
  • Família;
  • Lazer;
  • Viagens;
  • E muito mais.

É importante saber diferenciar a pessoa jurídica da pessoa física, assim, tem se um melhor aproveitamento para ambas as partes.

Posso usar o dinheiro da empresa para pagar despesas pessoais?

Não, não deve-se usar o dinheiro da empresa para pagar contas pessoais, do contrário, poderá acontecer o desequilíbrio financeiro da empresa, tornando assim, a questão monetária uma bola de neve.

Fazer uma gestão de qualidade é obrigação do empreendedor, porém, nem sempre é uma realidade, principalmente com as dificuldades e várias demandas do dia a dia.

Os motivos principais que explicam o porque deve ser separado o dinheiro pessoal do empresarial, são:

  • Não há segurança ao fazer uma análise financeira ou projeção adequada;
  • O planejamento financeiro torna-se instável e não aplicável;
  • Não é possível traçar metras de lucro;
  • Não há a possibilidade de confiar na análise de indicadores;
  • Por fim, há um grande dificultador na hora de conseguir financiamentos bancários.

Por isso, comandante, é o momento de parar e começar a entender a importância de ter essa separação.

Importância em separar dinheiro da empresa do dinheiro pessoal

Quando não há essa distinção, o empresário pode ter vários problemas ao realizar sua Declaração de Imposto de Renda ou a Declaração do Faturamento Anual do MEI.

Além disso, existem algumas vantagens específicas para que você tenha mais incentivo de manter suas contas separadas. Confira algumas delas abaixo:

  • Maior transparência e visibilidade de finanças da empresa;
  • Os documentos fiscais tem uma ordem e estão organizados;
  • Há a possibilidade de ter um maior controle financeiro, tanto empresarial quanto pessoal;
  • Têm-se uma melhor saúde financeira do negócio;
  • Por fim, é possível realizar demais planejamentos estratégicos sobre lucros e gastos.

Existem algumas ações primordiais que podem facilitar esse processo de transição para o empresário que quer ter mais cuidado com seu negócio.

Veja quais são elas abaixo:

Contas bancárias separadas

Ao ter contas bancárias separadas, há uma maior possibilidade de saber quais são as entradas e saídas de dinheiro de cada parte da empresa.

Além disso, ao ter uma conta jurídica, os consumidores possuem mais certeza de que estão negociando com um negócio com credibilidade.

Faça o pró-labore

Conhecido como uma remuneração do chefe ou sócios, ele é uma quantia determinada da qual é paga mensalmente para essa pessoa.

 

Assim, ao ter um valor fixo, têm-se uma maior possibilidade de não causar danos às entradas e saídas da empresa, estabelecendo uma maior certeza ao realizar transações financeiras.

Além disso, há um maior controle financeiro, possibilitando com que planos, planejamento estratégico e medidores possam ser analisados e aplicados no futuro da companhia.

Faça reserva para ambas as partes

É importante ter uma quantia de dinheiro separada tanto para a empresa quanto para a vida pessoal.

Assim, em tempos mais difíceis, há a possibilidade de usar esse dinheiro para se ter mais conforto e até mesmo sanar eventuais problemas monetários.

Faça investimentos distintos

Saiba o que você quer no quesito empresarial e o que deseja para sua vida pessoal.

Assim, fica muito mais fácil de realizar o investimento ou aplicação em cada área de sua vida, de modo a conseguir diminuir potenciais problemas financeiros e a desorganização.

Confira no vídeo abaixo dicas exclusivas de Marcelo Germano sobre como separar seus gastos pessoais das finanças da empresa.

Como definir o salário do dono da empresa?

Para definir o valor do pró labore do dono da empresa existem muitas variantes e detalhes que devem estar incluídos na equação.

Primeiro, é indicado observar qual é o valor de mercado de acordo com o cargo. por exemplo, quanto um CEO ganha? Pode-se usar isso como base para realizar o pagamento do salário do dono.

Mas, também é preciso saber se a companhia possui a capacidade de obter lucro com essa quantia paga, do contrário, é hora de revisar os valores.

Nesse caso, é preciso verificar quais são os custos fixos mensais, como: aluguel, energia, valor de mercadoria e tantos outros gastos.

Depois disso, verifique quanto é preciso de faturamento mensal para que você inclua o valor salarial dentro dos custos fixos, afinal, ele é uma despesa de sua companhia.

Para aumentar o salário do dono ou de demais colaboradores, é preciso realizar um estudo dos números do negócio, visualizar com mais clareza e assim, bater o martelo ou não sobre a implementação dessa quantia.

 

Confira no vídeo abaixo do podcast EAG qual o valor que ganha-se um empresário nos dias atuais, além de outras dicas para conseguir melhorar a gestão financeira de seu negócio!