noticías

Controle financeiro: 4 passos para você precificar corretamente

Controle financeiro: 4 passos para você precificar corretamente



Um dos temas de maior dificuldade nas empresas e maior erro é a precificação. 

 

“A sua realidade não é a realidade do seu vizinho”. Essa frase norteará, a partir de agora, as relações de precificação. Mas como precificar de forma correta evitando prejuízos? 

 

1 - Entender o seu regime tributário


O primeiro passo é entender sua tributação e qual regime você pertence: Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido. Feito isso, entender os impostos aos quais você está sujeito a pagar no momento da compra de mercadoria para revenda. Alguns impostos possuem aproveitamento em alguns regimes de tributação. 

 

2 - Entender o custo do frete da mercadoria

 

O segundo passo é entender o custo do frete da mercadoria. Muitas vezes a mercadoria é mais barata em um fornecedor, mas em contrapartida o valor do frete não é compensatório. Em outros casos, há a possibilidade de obter o frete grátis quando se compra um valor maior de produtos em determinada empresa, é preciso ponderar a opção mais vantajosa. 

 

3 - Previsão de vendas

 

O terceiro ponto é a previsão de vendas e os custos que você deseja atribuir aos lotes de mercadorias. É muito importante determinar o quanto o lote irá compor para ajudar nos custos e nas despesas. Precificar sem atribuir esse fator, é vender no escuro. Nesse ponto está o maior risco: não conhecer suas despesas - processo muito comum em locais com deficiência no controle financeiro - vende-se muito, mas com lucro insuficiente. 

 

4 - Quebras, perdas e avarias
 

O quarto ponto são as quebras, perdas e avarias. Quanto da sua operação está sujeita a esse processo? Alguns setores têm uma perda significativa em seus produtos, como o comércio de alimentos, medicamentos e de produtos frágeis. A previsão de perda e quebra deve ser mensurada com a porcentagem atribuída de forma a poder mitigar esse prejuízo.  Ocasionalmente o lucro da operação se torna extremamente pequeno ou inexistente após o prejuízo de quebra. 

 

Por fim, após definir as variáveis, realizar os testes para que possam verificar se a mensuração do custo do produto aconteceu de forma correta, calculando o preço final ao consumidor. Também é necessário acrescentar que todo poder de negociação, redução de custos e despesas, serão evidenciados no preço final ao consumidor ou na lucratividade esperada.
 

Se você ainda não realizou o controle de custos e despesas, comece agora mesmo a entender melhor sobre a saúde financeira da sua empresa. Conte com a gente!

 

Notícias Relalcionadas

arraste para ver mais >>